Saramago

June 19, 2010

Do Saramago, eu li um dos livros que mais gosto, a Jangada de Pedra. A história é mais ou menos assim: começam a sugir enormes rachaduras no chão, na fronteira da Espanha com a França. Enquanto o mundo tenta entender o que está acontecendo, enquanto os governos tentam inutilmente cimentar a fenda, a fenda avança, até separar definitivamente a península Ibérica do resto da Europa. Portugal e Espanha saem à deriva, Atlântico adentro.

Cinco pessoas pela Península protagonizaram fenômenos estranhos, mas um pouco triviais (um funcionário de férias lança ao mar uma pedra pesada que voa mais longe que deveria, ou uma galega que começa desmanchar uma meia de lã, que nunca termina) se reunem e a partir deles que a história é contada.

Um bocadinho de realismo fantástico, naturalmente. A história é bonita e o livro é bem divertido. Eu acho especialmente divertidos os interlúdios em que são contadas as reações dos governos estrangeiros. O Reino Unido limita-se a comemorar o fato que Gibraltar separou-se da península, legitimando indubitavelmente o controle inglês sobre a rocha… Ou os manifestantes europeus que gritam “nós também somos ibéricos”. Ou a incrível política de boa-vizinhança dos americanos (sempre eles!). O livro foi escrito em um momento que Portugal e Espanha estavam entrando na União Européia e pelo que eu li na orelha o livro é um comentário a esse fato ou sobre a questão identitária Portugal-se-sente-marginalizado-na-grande-Europa-e-gostaria-de-ser-um-país-do-Atlântico. Mesmo sem entender essa referência direito (afinal sou de outro continente, né?), essa ode à identidade Ibérica é bonita.

Faz uns três meses li Caim, o último livro dele, publicado no ano passado. Sempre achei muito divertido ver comunistas ateus falando de religião, eles têm um sarcasmo muito, muito fino. No entanto, como é um livro baseado pesadamente recheado de referências à Bílbia, eu perdi metade das referências do livro, quem teve uma educação cristã provavelmente vai se divertir mais com as referências. Gostei no entanto, especialmente do final (sem spoilers aqui, leia 🙂 ).

Comecei e não terminei, A Caverna. Esse livro fala de um Shopping Center (o Centro) gigantesco, em eterna expansão e consumindo a cidade e o mundo em volta dele. Quando fui ler o livro, estavam construindo o maior shopping da América Latina na minha cidade, a algumas centenas de metros da escola em que eu estudava (digamos, eu tinha uns 13 anos, acho, na época) e o livro foi um pouco demais, parei de ler.

Por fim para a lista de coisas que eu li do Saramago, naturalmente, o Conto da ilha desconhecida, um conto curto cujos detalhes não lembro bem, mas é legal. E o primeiro texto que acho que li dele foi o teatro A Noite, sobre um grupo de jornalistas na redação de um jornal recebendo a notícia da Revolução dos Cravos.

Quem é Dilma

June 13, 2010

Me perguntaram esses dias, e não tive a oportunidade de responder na hora, o que eu achava da Dilma. Pois bem… Como pessoa, ela extremamente competente, é desenvolta o suficiente para assumir uma posição de liderança, tem um compromisso muito forte com o Brasil. Como candidata, ela tem uma base de apoio sólida e está sustentada sobre um projeto de país que já se provou eficiente. Etc. etc.

O importante sobre a Dilma, no entanto, é outra coisa. Ela é trabalhista.

O PT das décadas de 80, 90, é uma soma de sindicalistas, intelectuais, esquerda católica, que não é uma continuidade direta da esquerda petebista da década de 60. Na década de 2000, restam principalmente os sindicalistas, como o Lula, por exemplo.

A Dilma (ex-pedetista) é uma herdeira mais direta do trabalhismo da década de 60, janguista, getulista, brizolista. Se ainda houver alguma dúvida, vejam o discurso dela na convenção do PDT, ontem. O vídeo é, significativamente, provido pelo blog do Brizola Neto.

Twitter

June 12, 2010

Não quero ser redudante sobre o twitteiro notívago, ou repetir o que outros já comentaram… Só dizendo, o Twitter do José Serra com essa notícia do Onion.

Chuva

February 14, 2010

A outra frase do dia é essa:

É que quando o PSDB está no governo quem governo mesmo é o clima: choveu muito alaga, choveu pouco apaga.

daqui.

Arruda

February 14, 2010

A frase do dia é:

“parabéns ao PCO, que está prestes a ter o mesmo número de governadores que o PFL!  PS: parabéns ao PCO, que está prestes a ter o mesmo número de governadores que o PFL!”

daqui.

Kocharian

January 16, 2010

Estava no blog do Eduardo Guimarães lendo arquivos muito antigos (não pergunte por quê) quando me deparo com um post curioso.

É um post em que o Eduardo responde a um comentário de um leitor. E reproduz o comentário desse leitor. E eu reproduzo o (infeliz) comentário aqui:

E a verdade agora tem lado… O seu lado, é claro. O fato de Lula ter sido eleito por ampla maioria não o absolve dos erros cometidos. Se for assim, Paulo Maluf agora é um exemplo de moralidade. Mas me intriga uma “comerciante” ter sido tomado de um súbito dever cívico e denunciar as “maldades” de uma perversa elite, embora se esqueça de explicar por que José Alencar, Furlan e Henrique Meirelles estão no governo e gente do naipe de Sarney e Jader Barbalho terem sido cooptados para as hostes petistas.

Roberto Kocharian | kocharian@uol.com.br | São Paulo – SP | Arquiteto |  11/11/2006 12:18

Qual o interesse no comentário? Nenhum. Aqueles resmungos de sempre.

O interesse é o nome: “Kocharian”. Armeno. E não me pergunte também por que raios eu reconheceria um sobrenome como sendo armeno. E o pior é que parecia que eu conhecia esse nome de algum lugar.

Pois então, uma busca na Wikipédia, executada em menos de dois segundos, traz a resposta: Robert Sedraki Kocharyan, ex-presidente da Armênia e ex-presidente da república separatista de Nagorno-Karabakh.

Robert Kocharyan, Roberto Kocharian. Coincidência?

De duas uma: (i) ou de fato é uma coincidência muito curiosa (e possível é o mais provável, uma vez que há mesmo uma grande comunidade armena em São Paulo) ou (ii) as pessoas estão realmente criativas para inventar nomes falsos.

History of the Internet

January 16, 2010

“…as reformas de base de João Goulart, que LEVARAM os militares ao poder”

January 14, 2010

[via Esquerdopata]

Do dia

January 14, 2010

Um dia trágico, certamente. Sem condições de dizer melhor o que já foi dito por outros, restrinjo-me em registrar meu profundo pesar, e postar alguns links do dia sobre o Haiti:

***

Outras do dia…

Algo de muito curioso aconteceu com o Google, que entrou em rota de colisão com o governo chinês. Pelo bem ou pelo mal, o Google definitivamente não é comum. Direto às fontes, no blog oficial do Google. Ah, e o contraponto.

***

Por fim, fiquem com um post do Altamiro Borges sobre a Opus Dei [via Vi o Mundo],daqueles uns que divertidos pelo temperinho épico-conspiratório.

Hermenauta ensina a conversar com anaeróbicos

January 13, 2010

Num pais aonde o governo eh a mamae que vai salvar todo mundo em todos os aspectos eh logico que os partidos vao disputar o titulo de quem esta mais a esquerda. Decidir quem esta certo ou errado eh o menor dos problemas.

Alias, foi o proprio Lula que disse que nao vai ter um candidato da direita na proxima eleicao. O que mais se pode esperar?

Isso ensejaria uma certa reflexão sobre a competência da direita, para dizer o mínimo.

Diz sim, diz que ele é razoavelmente esperto.

Sob protestos do supradito amigo do Hermenauta, atualizo o post com o link para a conversa completa e original, sem cortes.